segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

"This is the part of me"


Eu estava encantado por seus olhos. Que belos olhos. Eram castanhos cor de mel e de aparência encantadora. Eram reluzentes e faziam meu coração pulsar cada vez mais a cada piscar. Era uma pele delicada e suave, não havia a tocado, mas sabia que era delicada e suave por que era bela e atraente. Tinha um rosto angelical e sua fisionomia era de perfeição. Estava me completando. Senti que precisava me aproximar e dizer um oi. Mas não consegui, fiquei vidrado e observando de longe cada movimento. Desviava o olhar toda vez que seus olhos vinham de encontro aos meus. Em meio a tantas pessoas eu não sabia se continuava olhando de longe ou prestava atenção na palestra que estava havendo. Dúvida cruel.

Foram os melhores cinco dias de minha vida. Senti que estava apaixonado e senti borboletas no estômago. Não eram bem borboletas, estavam mais para dragões que iam e vinham e faziam minha barriga ter grandes calafrios. Nunca havia me sentido assim antes. Aquela semana de palestra havia mudado minha vida. Havia ido com o intuito de aprender mais e infelizmente foi o dia que me deparei com o amor. Talvez eu não precisasse ter encontrado o amor, pois os dias que estavam por vir acabaram sendo piores. Mas não acabou assim tão rápido.

O primeiro e segundo dia, não houve muita coisa, só sei que acabou sendo amor à primeira vista. Senti que meu chão estava repleto de neve e os passos ficavam mais complicados, mas fiz de tudo para que notasse minha presença. Não foi bem o que aconteceu. Mas meu coração pedia mais. E foi o que eu fiz, voltei para casa confiante. O terceiro e quarto dia foram os melhores de todos, consegui pedir seu MSN e inventar uma história maluca para disfarçar o pedido tão inesperado de sua rede social. E consegui sentar um lugar atrás do seu, via que sua cadeira repousava sua bela silhueta e seus braços repousavam sobre uma pequena agenda. Fui contemplado com sua bela voz, ela virou-se e disse-me algo que eu acabei não prestando muita atenção porque eu estava fixado olhando em seus belos olhos. Mas o quinto dia foi de cortar o coração. Acabaram as esperanças. Último dia de palestra, o que fazer? Apenas guardar isso como uma experiência frustrante que a vida lhe deu. Eu estava com um MSN em mãos e acabou-se que continuamos trocando mensagens por alguns dias. Sofri.

Coloquei expectativas em uma pessoa que nunca teria Q.I o suficiente para entender o que sinto. Ri muito para disfarçar o modo que meu coração despedaçava ao a ver sair ou entrar no MSN sem nem ao menos me dizer um simples oi. Talvez eu nunca precisasse ter pedido aquele maldito MSN que me fez sofrer muito. Sinto que fui usado, pois as únicas duas vezes que me chamou para conversar queria algo. Triste realidade. Infelizmente essa ditadura da minha vida durou longos dois anos. Porque nunca disse que a amava? Por que não mudaria nada. E nunca mudou. Fomos amigos, depois colegas e agora somos apenas desconhecidos. Não guardo mágoas dessa aventura que me lancei ao mar sozinho, eu guardo isso como ensinamento. Se tiver que se apaixonar por alguém novamente terá que ser da pior forma, usando o cérebro ao invés do coração.

Ao ouvir tocar no rádio uma música da Katy Perry, Part of me, pude sentir o drama na alma, pois toda vez que ela dizia: “THIS IS THE PART OF ME”, eu me lembrava desse passado que hoje procuro esquecer. Porque “THIS IS THE PART OF ME” ainda machuca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário