segunda-feira, 8 de julho de 2013

Welcome! Bem-vindo a retalhação alheia!

"O simples fato de existir coincidências, não prova que o amor esteja do seu lado." - Christopher Duarte.


Ao estar me preparando para viajar para minha cidade natal, trazia em mente o que poderia estar me aguardando, mas não fazia ideia de que conseguiria ver antes que todos que desejara ver a fisionomia da pessoa que fez com que eu perdesse dois longos anos de minha vida com ilusões e pensamentos amorosos atirados ao vento. A sensação estava arquivada em meu subconsciente, nunca mais havia lembrado como era estar ao seu lado  e ver minhas pernas simplesmente perderem o equilíbrio. Saber que te reencontraria tão depressa após longas procuras e indecisões amorosas faziam de mim um ser consideravelmente propício a lamentações futuras, entretanto acordei a tempo de ver que a estrada para a felicidade havia um desvio que dava direto na rua das lamentações.
Entristecendo a alma e mantendo o coração nas mãos pude camuflar o que sentia perante os outros me fazendo uma pessoa sorridente o bastante para ter problemas. Infelizmente o estado de felicidade durou pouco, pois o chão das pessoas que camuflam sentimentos se obstrui rapidamente, deixando a totalmente sem direção ou pistas do porque insistiu tanto nos erros que cometeu durante toda a vida. Não é um texto de auto-ajuda, mas sim apenas um discurso da vida prévia de um escritor.
Estava me curando das decepções que causei a mim mesmo e dos prejuízos masoquistas que tive que impor  para entender que felicidade não se encontra nas pessoas. Descobri que amor próprio é a base para se manter firme em uma vida onde apenas se valoriza o exterior, visando que o amor fica de segundo plano, isso se estiver nos planos. Lamentar não ajuda. Esquecer é impossível. Remoer o passado apenas lhe entristecerá. Amor próprio? Pois bem, encontre-o. Para assim mostrar que tem valor e que as pessoas não necessitam carinhosamente lhe impor um senso já imposto à elas durante anos. Dura realidade.
Confuso ao ler isso? Ok, também fiquei ao escrever. Mas garanto que se encaixar na retalhação alheia nunca fui uma de suas melhores escolhas. Digerir as atrocidades incumbidas nas palavras dos que o rodeiam nunca foi seu estilo de aprendizagem com a vida. Eclodir o exército de auto-estima nunca será possível se não houver uma base. Pois bem, liberte-se.
Confuso ainda? Simples, você apenas absorveu, não soube impor sobre sua vida você como líder. Entendeu? Parabéns, absorva e molhe seus caminhos com novas atitudes. Pois como diz Chales Chaplin: "A vida não permite ensaios (...)"

Nenhum comentário:

Postar um comentário