quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Não há alguém!

"Vejo o tempo passando por entre meus dedos e deixando apenas a poeira das lembranças. Vejo o mundo passando diante de meus olhos e deixando apenas imagens do passado. Vejo todos se arriscarem passando por mim e seguindo em frente, deixando apenas a leve brisa de um provável encorajamento. Dádivas indecifráveis." - Christopher Duarte.


O tempo tem me feito bem. Esqueci paixões platônicas que me faziam mal, mudando o foco totalmente para alguém que realmente importa, no caso: EU! Aprendi a me amar mais, manter o foco nos meus objetivos e ter como base belos exemplos de possíveis carreiras que eu poderia a vir seguir no futuro. 
Porém, estar dedicando todo esse tempo a mim não estava sendo o suficiente, sempre há alguém para ser amado, sempre há alguém para olhar e fazer o coração pulsar mais forte, sempre há alguém que será a razão para dedicarmos noites em claro porque estamos trocando mensagens, sempre há alguém para nos ensinar sobre algo que não saibamos sobre o amor. 
Pois bem, não há alguém!
Não há alguém para ser amado, não há alguém para olhar e fazer o coração pulsar mais forte, não há alguém para dedicar noites em claro porque estaria trocando mensagens, não há alguém para ensinar-me sobre algo que não sei sobre o amor. Enfim, não há alguém.
De certa forma eu deveria me sentir culpado, triste, acanhado, recolhido, ou até mesmo desanimado, mas não estou. Estou no auge do que considero "foco".
Haverá foco em meus objetivos, haverá foco em meus estudos, haverá foco nas melodias que o piano vier a fazer, haverá foco em algo futuro, pois tudo está no meu comando. Até que apareça alguém!
Por via das dúvidas, vou olhar todos os dias pela brecha do coração e ver se há a sombra ou até mesmo a fisionomia de alguém do outro lado desejando ser amado, desejando fazer meu coração bater mais forte, desejando me dar razões para ficar noites em claro trocando mensagens, desejando me ensinar algo que eu não saiba sobre o amor.
Porque de uma coisa eu tenho certeza: Por enquanto, não há ninguém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário