quinta-feira, 21 de maio de 2015

Pobre Escritor.

"A escrita tem sido o meu refúgio da solidão e dos dias ruins. Tem sido a cabana que me abrigou na imensa floresta de sentimentos indecifráveis. Tem sido a canoa que me fez velejar sob o imenso rio de lágrimas. Tem sido o porto seguro que venho necessitando ter para me refugiar. Escrever será meu objetivo, tê-lo alcançado será uma glória, viver por isso será uma dádiva" - Christopher Duarte.

Pobre escritor
Deitado, pensativo, desalinho
Sem inspiração, sem iniciativa
Vivendo o "deja vu" do dia a dia
Um pouco de Jonh Green
Sobre o travesseiro
Um pouco de Eliane Brum
Sobre a escrivaninha 
Um pouco de Machado de Assis
Na estante com livros
E nada de criar, inovar, escrever
Pensar como tal, fazer nascer.

Pobre escritor
De tanto esvaziar-se no papel
Tornou-se vazio por dentro
Não havia mais aquela chama
Que brotava e dava vida
Não havia mais aquela alegria
Que fazia tudo germinar
Não havia mais brilho
Que fazia a magia acontecer
Um pouco de Lispector, Drummond,
Rowlling e Tolkien
Tudo fechado a espiar.

Pobre escritor
Era veraneio seu humor irônico
Um pouco de perspicácia
E talvez uma sórdida desilusão
Passar madrugadas em claro
Com chá verde e cappuccino
Com seriados e notas musicais
Também a espiar ligeiramente
Se alguém pudesse-o inspirar
Pudesse o fazer criar, nascer, brotar
"Escreverei-me-ei" e "Criarei-te-ei"
Apenas até tudo cessar.

Pobre escritor
Sedimentou no "Ti voglio" esperanças
Mas enfim a vida seguiu seu rumo
Passar madrugadas em claro com chá
Com cappuccino e muitos escritores
Deixaria de ser solitária e instigava
Pode ver o sentido dos sentimentos
Começar a amar não estava no cronograma
Mas se assim for, ele escreverá
Talvez tatue nele uma coruja
Ou um lindo poema na vertical
Desde que seja verdadeiro.

Pobre escritor
Teve que ouvir e aprender
"Amar, porque amar é viver..."
Talvez não seja o sentido real de amar
Talvez não seja a frase perfeita do dia
Nem mesmo as horas iguais do relógio
Mas talvez precise apenas de algo
Algo que ancore-o ali
Chega de "Talvez" vamos redigir
Cada capítulo será rubricado no fim
Porque sempre disseram:
"Quem realmente quer, faz acontecer".

Nenhum comentário:

Postar um comentário