terça-feira, 21 de outubro de 2014

Ser, não sendo!

"Seres juntos e separados, seres pensantes e sossegados, seres cativantes e seres afastados, seres sendo e seres não sendo. Essa é a didática que devemos aprender, ou melhor, interpretar: Ser ou não ser? Ser cativado ou cativar? Ser só ou deixar-se juntar? Ser um ser ou ser apenas você em meio a multidão de seres? Apenas seja!" - Christopher Duarte.


O enaltecer da manhã de outubro
Trás mágoas e desalinhos 
Textos já redigidos várias vezes
Até se encontrar no papel uma consolação
Sempre foi necessário escrever para os demais
Escrever para si mesmo é um desadorno no coração
É arquivar para si tristezas incessantes
É vangloriar na penumbra do coração um ser
É especular cânticos incantáveis 
É ser, não sendo! E não viver, vivendo!

O enaltecer da manhã de outubro
Trouxe lembranças e saudades
Poemas construídos sobre fortes emoções
Até despedir-se do sentimento impactando-o no papel
Onde sempre buscar adorno nas coisas escritas
Foi-se algo valorizado pelos demais
É um ser cantante, mudo! Escritor, que não escreve!
É mágoa mal entendida e sóbria de beber
É relação de amor consigo
Lágrimas redigidas, escritas, sentidas.

O enaltecer da manhã de outubro
Trará conquistas e sucesso
Crônicas mal editadas e somente pensadas
Onde haverão de olhá-las como valor incomensurável
De dor e tristezas não viverei, talvez
Se viver, porém, acostumado já estarei
Será algo conhecido e ao mesmo tempo não bem-vindo
Trará paz e amor aos sentimentos
Redirecionamento a mente
Coração, que não ama! Pessoa, que não é amada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário