sábado, 22 de novembro de 2014

Ciclo de um escritor!


"Até o momento estou procurando o verdadeiro motivo pelo qual eu tenha habilidade com a escrita e possa dominá-la cada dia mais. É um diamante sendo lapidado. Um bebê sendo alimentado. Uma planta sendo regada. Enfim, um escritor fazendo o que nasceu para fazer, escrever!" - Christopher Duarte.

Deitado na cama olhando para o teto durante o dia, com os pés voltados para a cabeceira e o restante do corpo distribuído, largado, solto pelo colchão, ideias estavam borbulhando na minha mente, fervendo igual uma panela com água em estado de ebulição. Tocando ao fundo Pitty, mas precisamente a música "Serpente", trazendo calmaria e o som acústico da música fazendo-me acompanhar quase que compulsivamente a percussão com a palma das mãos. É um dia tedioso!
É madrugada, sentei na cama e coloquei sobre minhas pernas o notebook, coloquei-me a criar o que estava pensando enquanto se encontrava naquele estado de plena calmaria durante o dia. Esperava sentar e poder criar algo sentimentalista, algo que tivesse um toque de auto ajuda para mim, visando que não fosse colocar em prática, porém, não consegui criar nada além do que belos títulos para futuras publicações que hão de vir. É uma madrugada sem inspiração!
Amanheceu, não dormi, estou procurando uma razão para não ter criado algo da mesma natureza que venho criando há um bom tempo para postar no blog. Enfim, nada de respostas para as horas que passei acordado e não produzi nada. Estou procurando respostas do "porque" posso ter habilidade com a escrita e ao mesmo tempo poder dominá-la sem me esforçar tanto. É um amanhecer sem produção!
Em plena manhã, comecei a redigir algumas poucas palavras que se tornaram uma de minhas 'brilhantes' frases que eu apago depois de ler e ver que está totalmente um lixo, sim, eu apago várias e várias vezes uma frase, até que possa ler e encontrar nela algo que me caracterize, algo que esteja sendo meu naquele instante, algum sentimento, alguma voz gritante de inspiração. É uma manhã de muito BACKSPACE!
Chegou a gloriosa hora de almoçar, hora que um "alienígena que habita dentro do meu estômago ganha vida" - como diria uma amiga minha hahaha - Almoço e brinco com os grãos de arroz tentando criar uma história de HQ com personagens feitos de arroz e senário com feijão e batatas fritas. Imaginação fértil e produção zero. É um almoço fértil, na mente, apenas!
Com os olhos cansados resolvi descansar após o almoço e pude visualizar-me novamente como me encontrava no dia anterior: deitado na cama olhando para o teto durante o dia, com os pés voltados para a cabeceira e o restante do corpo distribuído pelo colchão... Porém, resolvi quebrar o ciclo de "não escrever nada até o momento" e escrevi o texto que no momento você está lendo. É um dia tedioso, porém, com aquele alívio no peito de ter feito o que nasci para fazer, escrever!

Nenhum comentário:

Postar um comentário