sábado, 16 de abril de 2016

2.0 (Dois ponto zero)

"Não é que eu esteja me reinventando, a verdade é que eu nunca fui constante" - Christopher Duarte. 

É chegado na vida aquele momento que você descobre que não é tão jovem e ao mesmo tempo não é tão velho, que não é tão criança e ao mesmo tempo não é tão adulto, que não se encaixa como adolescente e nem muito menos como "quase adulto", que os questionamentos próprios quase nunca tiveram respostas e quando têm hão de surgir mais dúvidas constantes ao longo dessa trajetória que chamamos de vida.
Não que viver de constantes dúvidas seja algo ruim, acredito que as dúvidas surgem para dar um sentido a vida e que quando cessar todas as novas dúvidas e desalinhos emocionais sobrará apenas um ser humano convicto de tudo e sem o mínimo de compaixão para com o próximo, um robô futurista que se dirá humano e tentará reduzir simples sentimentos aos mais longos e esdrúxulos conceitos do Wikipédia.
Acredito que a vida sempre estará pronta para nos surpreender, seja com coisas boas ou momentos não tão agradáveis ao nosso ponto de vista, não digo que existam momentos ruins, tenho em mente que esses momentos são ensinamentos e grandes aprendizados que devemos passar para podermos entender lá na frente o quão necessário aquilo foi importante para nos tornarmos quem somos ou passarmos por determinada situação com certa maturidade. E não, não quero fazer-te acreditar que mensagens de auto ajuda possam reluzir seu dia, igual o humor estridente de todas as manhãs do personagem de desenho animado: Bob Esponja.
Porém, entretanto, todavia, ter pensamentos positivos não só iluminam seu dia como fazem você progredir consideravelmente como pessoa, lógico, mantendo como foco um ponto de vista realista. O que quero fazer você pensar com todo esse questionamento? Ao certo, não sei, mas eu sei apenas que eu não serei o mesmo que ontem e nem tampouco igual o de amanhã, não serei hoje uma criança e nem mesmo um adulto, não terei brincadeiras para desfrutar durante o dia todo e nem mesmo responsabilidades incessantes, apenas sei que nessa fase de transição eu desejarei ser apenas: EU, nem mais e nem menos, apenas: EU.

Nenhum comentário:

Postar um comentário